A sua pergunta é pré-jurídica, ainda pertinente apenas à informática, e não a área do Direito. Mas devido à importância da questão, encaminhamos sua dúvida ao nosso departamento de informática. 

Essa pergunta parece simples, mas a resposta é bastante complexa. E aproveitaremos a oportunidade de explorar um pouco mais profundamente a questão da segurança e do excesso de exposição.


Segurança na Internet

A sua privacidade na internet é tão séria quanto a da vida real. Se você não expõe seus dados pessoais para um estranho na rua, não há razão para fazê-lo na internet, onde a publicidade das informações é infinitamente maior. A internet oferece uma falsa sensação de segurança que pode ser muito enganosa e perigosa. 

Em termos leigos, SIM, seus dados, uma vez publicados na internet, dificilmente, são inteiramente apagados, seja por prática do site (ou rede social) onde você publicou suas informações, seja devido à indexação e arquivamento que acontecem rotineiramente na internet, por serviços públicos ou privados. Por isso, dá para rastrear onde a pessoa mora.

Se você publicou informações específicas sobre onde você mora, há grande chance de essas informações permanecerem ativas quando do encerramento da conta, como veremos a frente.


Strip-tease de informações

Novamente, a falsa sensação de segurança da internet associada ao desejo epidêmico que vivemos atualmente de expormos cada vez mais e mais a nossa intimidade faz com que muitos sites nos convençam que é legal nos expormos demais e a todo instante, a ponto de “curtirmos” tanto esse strip-tease de informações que publicamos e tuitamos toda a nossa vida a todo o instante, abrindo mão voluntariamente de nossa privacidade e de nosso sossego. Além de colocarmos a nós mesmos e aos que nos são importantes sob risco.

Informações indiretas sobre seus hábitos, gostos, locais de interesse e relações sociais podem levar qualquer pessoa a identificar onde você mora, trabalha, estuda, com quem vive e quais as suas fragilidades. Se você não conta a ninguém no ônibus sobre sua vida e da sua família, não há lógica em fazer isso publicamente na internet.

Puxões de orelhas terminados, vejamos o tamanho do problema. Lidaremos apenas com a informática do bem, desconsiderando hackers, malwares, vírus, pessoas e sites mal intencionados em geral. Se você não for alvo de nenhum destes, basicamente a situação é como veremos a seguir.

Em termos gerais, é o número de IP (número que identifica um computador na internet) da máquina que você usa que denuncia a sua localização física em primeiro lugar, embora para tomar vantagem disso seja necessário razoável conhecimento técnico e informação de natureza mais restrita, a que poucas pessoas costumam ter acesso. Quem souber o número de IP da sua máquina, pode eventualmente descobrir a sua operadora de internet, a região atendida pelo seu link, e enfim, o roteador que chega à sua casa.


Redes Sociais

Em se tratando de redes sociais, a situação é ainda mais complicada, pois os dados são públicos e tudo é projetado para induzir o compartilhamento. Além disso, algumas redes sociais, ao encerrar a conta do usuário, não apagam os dados daquela conta. Estes permanecem “ocultos”, aguardando que o usuário queira reabrir sua conta. 

Por isso, se você tem alguma dúvida a respeito da violação de sua privacidade, leia o contrato e as regras de uso e de privacidade do site em que você mantém (ou mantinha) a conta, e entre em contato com o mantenedor do serviço, pedindo para informar quais dados seus ainda se encontram disponíveis publicamente, ou mesmo arquivados em seus servidores após o encerramento da conta. E se for o caso, peça a exclusão em definitivo do arquivamento de seus dados. 

Se os seus dados tiverem sido compartilhados dentre os usuários do site, é quase impossível localizar seus detentores, igualmente a reclamar-lhes alguma exposição indevida. 


Indexação Pública

Além do que já foi dito, seus dados podem ser localizados mesmo após sua conta haver sido cancelada, pois permanecem pairando na internet, armazenados em serviços de indexação e arquivamento como o Google, Yahoo, Bing, Alta Vista etc, que são serviços autônomos e independem dos sites de onde recolhem as informações. Mesmo se sua conta estiver inativa ou cancelada, pode ser bisbilhotada devido a arquivos mal protegidos ou mal configurados dos sites que detêm seus dados, incluindo as redes sociais (que não deixam de ser grandes sites). 

Indexar quer dizer criar um índice da informação, como se faz com os livros (tão desprestigiados em nossa sociedade do instantâneo), para que pelo índice, por palavras chaves (como nomes de capítulos e páginas) rapidamente se localize e exiba a informação indexada e desejada.

Quando se digita palavras de busca em um buscador, ele as compara com seus índices e exibe os resultados de acordo com um complexo sistema de pontuação dos resultados, que é o que estabelece a ordem de exibição. Um bom site, com uma boa equipe saberá proteger as informações sigilosas com a mesma competência que saberá expor as informações que você compartilhar. A questão é: se compartilharmos voluntariamente informações íntimas, elas serão competentemente divulgadas.

Se os seus dados foram indexados você poderá contatar essas empresas e pedir a desindexação das informações, o que é um pouco complicado.

Entretanto, exatamente por esse sistema de pontuação, com o passar do tempo, essas informações poderão naturalmente perder sua significância para esses indexadores, e quem sabe, deixarão de ser exibidas quando buscadas. Ou na prática, serão exibidas tão distante das primeiras páginas nos buscadores, que o efeito é semelhante.


Significância, Indexação e Exibição

Caso o endereço eletrônico (www.algumacoisa.com) seja apagado ou alterado, em princípio, desfaz-se a indexação original, podendo ser re-indexada a nova página, dependendo das configurações.

Mas não se perde o arquivamento em serviços públicos e privados dedicados a “copiar” e armazenar tudo que se passa na internet, sim existe isso. Mas a isso também se aplica a regra da significância que falamos acima.

A melhor forma de você verificar quais dados seus estão expostos é procurando por eles como se você fosse uma terceira pessoa tentando localizá-los. A partir disso, você pode tomar as providências (até jurídicas) que entender necessárias.

Para entender melhor como funciona o processo de indexação, veja este vídeo feito pela empresa Google Inc. (legendas em português)


Se você desejar entender melhor como a pesquisa em sí funciona, começe aqui por esta página eles são especialistas no assunto.